Sociedade Americana dos Atuários – SOA divulga as versões finais da tábua de mortalidade RP-2014 e da tábua de escala MP-2014.

No último dia 19 de novembro foram divulgadas correções em relação à publicação ocorrida em 27 de outubro de 2014, da Sociedade de Atuários (“SOA”), referente ao lançamento das versões finais da tábua de mortalidade RP-2014 (Retirement Plans Experience) e da tábua de escala MP 2014, que indica a evolução / melhoria na mortalidade.

Seguindo a linha do CMI – Continuous Mortality Investigation do Institute and Faculty of Actuaries (atuários ingleses), a Sociedade de Atuário (SOA) também traz inovação na publicação da nova tábua de mortalidade RP 2014, na qual são emitidas várias séries de tábuas segregadas além da tradicional segregação por gênero e por válidos e inválidos. Há também a segregação por nível de salário e benefício, por tipo de trabalhador, por trabalhadores operários (blue collar) e por trabalhadores administrativos (white collar).

Foram emitidas as seguintes tábuas – Retirement Plans 2014 segregadas por gênero:

População de Empregados (idades de 18 a 80 anos de idade)

  •  Total (conjugado das subpopulações abaixo)
    •  Operários
    •  Administrativos
    •  Quartil inferior (baseado nos salários)
    •  Quartil superior (baseado nos salários)

População de aposentados (idades de 50 a 120 anos de idade)

  •  Total (conjugado das subpopulações abaixo)
    •  Operários
    •  Administrativos
    •  Quartil Inferior (baseado sobre os benefícios)
    •  Quartil Superior (baseado sobre os benefícios)

População de Inválidos (idades de 18 a 120 anos de idade)
População juvenil (idades de o a 17 anos de idade)
População total (conjugado de todas as tábuas acima considerando as idades de o a 120 anos de idade).

Foi publicada também escala própria de melhoria da mortalidade (improvement) MP-2014, ao contrário da RP 2000 que utilizava a escala AA como melhoria da mortalidade (improvement) ao longo do tempo.

Visão Geral dos Dados

O banco de dados final, sobre a qual o estudo da construção da tábua RP-2014 foi construído, reflete cerca de 10,5 milhões de anos de vida de exposição e mais de 220.000 mortes, tudo a partir de planos sujeitos a regras de financiamento do Pension Protection Act – PPA. Os dados foram submetidos a 120 planos privados em resposta ao pedido de Retirement Plans Experience Committee – RPEC para a experiência de mortalidade dos planos que abrange os anos de 2004 a 2008, sendo mantido as caracterizações dos planos utilizados na elaboração da RP-2000.

Comparativo de expectativa de sobrevida média

Comparativamente temos a seguinte tabela das expectativas de sobrevida:

IDADE TÁBUAS [MALE]
AT-83 AT-2000 (Suav.10%) RP-2000 ESTATICA* RP-2000 GERACIONAL RP-2014 ESTATICA* RP-2014 GERACIONAL
40 39,8 42,2 39,8 42,8 43,4 47,1
50 30,6 32,8 30,3 32,4 33,7 36,5
55 26,3 28,4 25,7 27,3 29,1 31,4
60 22,1 24,1 21,2 22,5 24,5 26,5
65 18,1 19,9 17,1 18,0 20,2 21,8
70 14,5 16,1 13,4 13,9 16,2 17,4
80 8,5 9,7 7,3 7,4 9,1 9,7
85 6,2 7,3 5,0 5,1 6,3 6,7
90 4,6 5,3 3,4 3,4 4,2 4,4

* Expectativa de sobrevida calculada sem aplicação da escala de melhoria da mortalidade.

IDADE TÁBUAS [FEMALE]
AT-83 AT-2000 (Suav.10%) RP-2000 ESTATICA* RP-2000 GERACIONAL RP-2014 ESTATICA* RP-2014 GERACIONAL
40 44,5 45,8 42,7 44,5 47,3 50,9
50 35,0 36,2 33,1 34,4 37,6 40,4
55 30,3 31,5 28,4 29,4 32,8 35,3
60 25,8 26,9 23,9 24,7 28,1 30,2
65 21,5 22,5 19,6 20,2 23,5 25,2
70 17,4 18,3 15,7 16,2 19,0 20,4
80 10,1 10,8 9,2 9,3 10,5 11,3
85 7,3 7,9 6,6 6,7 7,4 7,9
90 5,1 5,6 4,7 4,7 5,1 5,3

* Expectativa de sobrevida calculada sem aplicação da escala de melhoria da mortalidade

Expectativa do impacto financeiro

A maioria das aplicações em matéria de pensões atuais nos Estados Unidos envolvem projeção da RP-2000 (ou, eventualmente, UP-94) E as taxas de mortalidade de base usando tanto a Escala AA e BB. O Retirement Plans Experience Committee – RPEC acredita que será consideravelmente mais significativo para os usuários que avaliam os efeitos combinados ao adotar Tabelas RP-2014 projetadas com a Escala MP-2014, ao invés de tentar isolar o impacto da adoção de um sem o outro. O impacto financeiro da alteração combinada deverá variar substancialmente com base nos pressupostos de mortalidade. Por exemplo, o impacto de comutação a partir de uma projeção estática usando a Escala AA tipicamente será muito mais significativo do que o impacto da mudança de uma projeção geracional usando Escala BB-2D.

Conclusão

O RPEC recomenda que todos os atuários de pensão nos Estados Unidos analisem cuidadosamente os resultados apresentados no estudo da RP-2014 e o complemento Escala MP-2014. Sem prejuízo de critérios de materialidade padrão (incluindo Actuarial Standard of Practice – ASB No. 35) e conhecimentos específicos do usuário do grupo abrangido, o Comitê recomenda que a medição das obrigações dos planos de previdência privada passe a basear-se na Tabela RP-2014 com projeções geracionais apropriadas para os anos calendários depois de 2014, usando a escala de taxas de melhoria mortalidade MP-2014.

Semelhante ao que é praticado nos EUA, nós no Brasil também devemos fazer os testes de aderência na forma da instrução normativa PREVIC nº 07/13 para identificar, a partir de parâmetros técnicos e estatísticos, qual a tábua de mortalidade mais aderente para a realidade de cada Plano de benefícios. Assim, a tábua RP-2014 geracional passa a ser mais uma opção a disposição dos atuários e, por consequência, dos Fundos de Pensão, em relação às opções de tábuas cuja aderência pode ser testada as características individuais e da experiência do grupo / plano abrangido devem ser consideradas na seleção de um conjunto adequado de taxas de mortalidade base.

 

Deixe uma resposta

O seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

Você pode usar atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Apagar formulárioEnviar